quinta-feira, 11 de outubro de 2007

A FROUXIDÃO MORAL

“Disse o néscio no seu coração: não há Deus. Teem – se corrompido, fazem – se abomináveis em suas obras, não há ninguém que faça o bem” – SL. 14: 1 e 53: 1
Acerca dos contemporâneos de Noé, a Bíblia nos afirma: “Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplicado na terra, e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração . . . dis­se a Noé: Resolvi dar cabo de toda carne, porque a terra es­tá cheia da violência dos homens: eis que os farei perecer juntamente com a terra” – Gn. 6:5, 12-13.
A este respeito Jesus disse: “Assim como foi nos dias de Noé, será também nos dias do Filho do homem: Comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento” – Lc. 17:26, 27. Apesar dos avisos de Deus por intermédio de Noé, eles se encontravam tão ocupados con­sigo próprios e sua iniqüidade que “não o perceberam, senão quando veio o diluvio e os levou a todos” – Mt. 24:39.
Também “O mesmo aconteceu nos dias de Ló: Comiam, bebiam, compravam, plantavam e edificavam; mas no dia em que Ló saiu de Sodoma, choveu do céu fogo e en­xofre, e destruiu a todos. Assim será no dia em que o Filho do homem se manifestar” - Lc. 17:28-30.
Jamais houve uma época na qual os homens se esforçassem tanto e tão desesperadamente por divertir-se quanto o fazem hoje. Estão saciados, banalizados e entediados. A coisa anda tão “feia” que o eminente teólogo Teilhard de Chardin em um de seus tratados afirmou: *”O grande inimigo do mundo moderno, seu inimigo público número um é o abor­recimento, o tédio...” ( *O Futuro do Ho­mem). Contrariando todas as previsões em função de todas as conquistas anunciadas na imprensa pelo mundo afora, a humanidade está entediada. Esta talvez seja a causa fundamental de todos os seus problemas. O homem não sabe mais o que fazer consigo próprio. Atualmente até as férias estão cansativas. Há muito tempo atrás Jó afirmou: “O júbilo dos perversos é breve e a alegria dos ímpios momentânea” - Jó: 20:5. Segundo a Bíblia “Até no riso, terá dor o coração, e o fim da alegria é tristeza” – Pv. 14:13.
O mundo se encontra numa frouxidão moral como nunca foi vista, nem nos dias de Roma. Por ter ao alcance das suas mãos to­dos os prazeres que poderia desfrutar, o homem abusou de todos os bens que Deus lhe deu, inclusive o sexo, até não encontrar mais satisfação e alegria neles. Temos o homem a fazer o que quer; é a natureza humana, sem Deus, expressando – se a si mesma.
Esta frouxidão moral aliada à decadência humana, é sem sombras de dúvidas o limiar do tempo que ainda separava o “noivo” das “virgens”. Deus só anunciou o dilúvio após constatar a imoralidade dos contemporâneos de Nóe. Da mesma forma só destruiu Sodoma e Gomorra depois de constatar a sua imoralidade.
Os travestis, os homossexuais e as lésbicas fazem parte da maioria dos elencos dos filmes e novelas brasileiras. “Pastores” e outros pseudos religiosos de várias matizes desafiam a palavra de Deus e se aventuram a impetrar uma suposta bênção à união de gays e lésbicas.
Contemporâneos de Noé...
Sodoma e Gomorra ...
Etc, etc.
“Pelo que Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si… Pelo que Deus os abandonou às paixões infames. Até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário a natureza. Semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, inflamaram-se em sua sensualidade uns para com os outros, homem com homem, cometendo torpeza, e recebendo em si mesmos a penalidade devida ao seu erro” – Rm. 1: 24, 26 – 27. “Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomita, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus” – 1ª Co. 6: 9 – 10.
“Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” – GL. 6: 7.

Nenhum comentário: